Entenda o impacto da revolução tecnológica na advocacia

Entenda o impacto da revolução tecnológica na advocacia
Edison Fernandes
Escrito por

A revolução tecnológica atingiu todos os setores da economia. A advocacia já há algum tempo percebeu que a tecnologia pode ser sua aliada nas tarefas do dia a dia. Cada vez mais, soluções encurtam distâncias entre problemas e soluções — sempre buscando reduzir gastos, economizar tempo e automatizar tarefas.

As ferramentas tecnológicas ajudam os profissionais a acompanhar os mais de 100 milhões de processos que tramitam hoje em todas as varas, comarcas, jurisdições e demais órgãos da Justiça brasileira. Sem elas, os advogados de escritórios ou departamentos jurídicos de empresas teriam dificuldade para acompanhar o ritmo.

A tecnologia não substitui o fato de que o profissional deve ter domínio sobre o assunto e conhecer detalhes ações, mas ajuda nas tarefas de cumprimento de prazos para apresentar defesas, fazer apelações, apresentar provas e convocar testemunhas — que seriam impossíveis de controlar manualmente com esse volume.

Venha entender melhor como a revolução tecnológica tem transformado o mundo dos advogados. Boa leitura!

Do artesanal ao conectado

Há 20 anos os advogados achavam que o computador era apenas um substituto da máquina de escrever. Nessa época, eles atendiam pessoalmente aos clientes, buscavam documentos, atendiam ao telefone, iam ao fórum, participavam de audiências e, no final, faziam a cobrança de honorários.

Com a transformação dos sites dos tribunais, esse advogado artesanal evoluiu. Desde os anos 2000, ele se tornou conectado e passou a necessitar da habilidade de operar as tecnologias da informação — afinal, os processos eletrônicos estão se tornando gradativamente obrigatórios.

Processos eletrônicos

Com a lei 11.419/06, o processo eletrônico (em que a tramitação, a comunicação e a transmissão são digitais) passou a ser aceito no Brasil. Com isso, os tribunais têm alterado e atualizado suas operações: os documentos ficam disponíveis para consulta 24h por dia — e o advogado só precisa ir ao fórum em ocasiões específicas.

Depois dessa digitalização, os profissionais passaram a precisar de mais agilidade para desenvolver seu trabalho. As ferramentas criadas especificamente para o meio jurídico integram informações, têm filtros de busca eficientes e fazem o cruzamento de dados para facilitar as tarefas.

Prazos

O cumprimento de prazos é uma preocupação constante para o advogado. Com tantos processos para cuidar, memorizar todas as datas é quase impossível. Isso pode levar à perda de prazos para recursos ou para a apresentação de testemunhas — o que muitas vezes prejudica clientes em processos.

Softwares de gestão e organização ajudam nesse aspecto. O advogado pode, por exemplo, ser notificado por e-mail quando uma data estiver perto de expirar. Assim, ele pode se organizar para cumprir prazos e não se perder em meio a deles.

Andamento

Outra vantagem é o acompanhamento do andamento de ações em tempo real. As ferramentas informam e notificam sobre qualquer atualização no desenvolvimento de um processo (um despacho ou uma decisão, por exemplo).

Com a eliminação de tantas atividades presenciais, o ganho de tempo e economia financeira são óbvios — há redução da papelada, da burocracia e da necessidade de espaço de arquivamento, bem como dos custos de impressão.

Isso dá ao advogado mais tempo para se preparar para o planejamento de petições, audiências, sustentações orais e demais providências que requeiram a presença física do profissional.

E você, já está preparado para participar da revolução tecnológica que vem acontecendo na advocacia? Compartilhe este conteúdo na redes sociais para que outros profissionais entendam melhor este momento.

Compartilhar

Edison Fernandes

Edison Fernandes – Sócio
Especialista em TI e Processos de Negócios

Deixe uma resposta